Hora certa:
 

Colunas

Pandemia do coronavírus, a politização e a vacina

Temos assistido neste último ano uma das mais devastadoras pandemias que se abateu sobre a humanidade. A comunidade científica respondeu de pronto, não só indicando as medidas necessárias para minimizar os efeitos da doença per se, como também adotando medidas para evitar o colapso do sistema de saúde e, além disso, fazendo uma verdadeira imersão nos estudos para se conseguir a prevenção desta terrível virose com o desenvolvimento recorde de uma vacina eficaz e que será a única maneira efetiva de se controlar esta praga. Assim, todos os louros aos cientistas e a todos os profissionais de saúde que não mediram esforços para o controle da doença e tratamento dos doentes fazendo sua parcela de trabalho de modo exemplar.

Este exemplo de dedicação e responsabilidade porém, não foi seguido pelos nossos governantes. A troca de ministros de saúde extremamente competentes como Mandetta e Taich, por leigos, irresponsáveis e incompetentes militares num momento em que toda a estratégia de combate a pandemia estava sendo adequadamente estruturada, mostram a que ponto chegam os desmandos destes nossos governos, particularmente o governo federal. São mais de 200 mil mortes de brasileiros e colapso do sistema de saúde em diferentes estados do nosso país. São milhões de infectados. Na população em geral, temos 2,3% de infectados porém, quando vamos aos médicos vemos que 23,4% dos profissionais médicos da linha de frente foram infectados. Este dado mostra a dedicação e o comprometimento dos nossos colegas. E, esta conta tem que ser cobrada dos nossos incompetentes e irresponsáveis governantes.

Isto, sem dúvida seria muito minimizado se fossem mantidos profissionais competentes nas posições de coordenação de uma ação de saúde tão especifica e necessária. Ao vermos milhares de testes sendo perdidos nas alfandegas dos aeroportos; aplicativos que indicam doses e medicamentos absolutamente sem valor cientifico comprovado, patrocinados e divulgados pelo Ministério da Saúde; criticas feitas pelo Palácio do Planalto e seu Ministério de Relações Exteriores a países que produzem a vacina e seus insumos, dificultando o relacionamento comercial e a própria aquisição da vacina; criticas infundadas ao Butantan e a Fiocruz, tradicionais pilares da pesquisa epidemiológica e produção de vacinas no nosso país, e que dão suporte a um dos melhores, se não o melhor programa de vacinação do mundo (o nosso PNI do SUS); ficamos envergonhados de termos uma ciência comparada às melhores do mundo e governantes provenientes do baixo clero político onde a ideologia suplanta a ciência e sacrifica milhares de vidas desnecessariamente.

Nos causa surpresa também posições dúbias do Conselho Federal de Medicina, afimando que o médico tem liberdade total para prescrever o que bem quiser!!! Obvio que tem porém, a ciência é que deve nortear a conduta médica.
Exatamente por estes motivos não podemos nos calar. Vamos continuar denunciando estas atrocidades. Vamos continuar defendendo a ciência. Vamos continuar esclarecendo nossos pacientes e divulgando em todas as mídias a verdade. Vamos continuar nos dedicando.

Isto seria muito mais fácil com o apoio governamental e com uma competente coordenação. E temos isto no nosso país! Temos uma escola de saúde pública invejável, com inúmeros profissionais de elevado nível e que, se chamados fossem, mudariam completamente o perfil desta pandemia preservando o SUS e minimizando as mortes e sequelas.

Mas a epidemia esta aí, firme e forte. Mas temos alento e esperança pois a ciência fez o seu papel e os profissionais de saúde idem. Estamos preparados e já conhecemos muitos aspectos desta terrível doença sistêmica. Vamos continuar nos dedicando e fazendo o possível. Para isto vamos usar toda nossa rede de relacionamentos, as nossas Entidades Médicas para que as mentiras e os mentirosos sejam desmascarados. Esta é nossa obrigação !! Vamos cumpri-la da melhor maneira possível!! Apesar de todas as dificuldades, que não as da doença, que estão nos impondo!!

 ANTONIO JOSÉ GONÇALVES é presidente da SBCCP - Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 3.239.158.36 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)