Hora certa:
 

Colunas

A Medicina mudou e nunca mais será a mesma

No final de 2019, um acontecimento inesperado em forma de um vírus mortal, surgiu na China e se espalhou rapidamente. A sociedade, as relações interpessoais, e a Medicina se modificaram com o aparecimento do Sars-CoV-2.

O mundo não é e nunca mais será o mesmo. As mudanças na Medicina aconteceram de forma muito rápida. A Telemedicina, que estava aguardando implementação, foi logo liberada pela necessidade e será praticamente impossível a sua extinção. A formatura de estudantes do sexto ano foi antecipada e muitos foram para a linha de frente combater o novo vírus. Muitos colegas da área da saúde perderam a vida pelo caminho e alguns ainda carregam sequelas psicológicas e físicas desta nova doença.

Iniciou-se uma batalha, cansativa e desgastante, de narrativas e condutas entre médicos, influenciada pela política, pelo mercado, ideologias, entre outras. Uma eterna disputa entre a academia e a infantaria durante uma guerra cruel.

Uma nova doença sempre justifica o “in dubio pro reo”?

Não se sabe se a internet, as mídias sociais e os aplicativos mais ajudam ou atrapalham neste momento.

Acreditava-se, no princípio da pandemia, que a Cirurgia Vascular, como especialidade, não lidaria diretamente com a Covid-19. Uma grande ilusão, pois a especialidade foi atingida em cheio pela coagulopatia associada ao vírus, causando casos graves de tromboses arteriais e venosas, levando a cirurgias de urgência, consultas e realização de grande número de exames de ecodoppler. A divulgação desses casos pela imprensa e mídias sociais levou, e ainda leva, uma grande quantidade de pacientes ao consultório do angiologista e cirurgião vascular pelo grande medo da trombose.

Quem atendeu, fez ecodoppler ou cirurgia em um paciente com Covid-19 na sua fase inflamatória, nunca mais vai esquecer da sensação de medo e impotência diante da doença, bem como, da face de sofrimento e angústia desses pacientes.

Estão sendo tempos muito difíceis para todos, em especial para os profissionais da saúde e outros diretamente envolvidos no atendimento. Existe sim o reconhecimento por parte da sociedade, mas também a acusação de alguns por condutas e tratamentos divergentes.  

Na pandemia, aprendemos a valorizar o que realmente nos interessa e é importante em nossas vidas, reconhecendo também o que nos faz falta de verdade. Muitos sairão mais evoluídos, fortalecidos e preparados para uma nova verdade.

Essa citação do médico americano, Dr. William J. Mayo, 1861-1939, um dos fundadores da Mayo Clinic, EUA, tem mais de cem anos e continua atual como nunca:

"A verdade científica, outrora tida como imutável, enquanto pudesse ser pesada e medida, é mutável. Acrescente um fato, mude a perspectiva e você terá uma nova verdade. A verdade é uma variável constante."

Dr. Alcides José Araújo Ribeiro é Angiologista e Cirurgião Vascular do Hospital de Base do Distrito Federal – Brasília - DF












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 18.206.177.17 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)